Fale conosco: 15 3329.4240 - 9 9697.4479 || contato@souzagongora.com.br
Logo
Quem Somos  |  Áreas de Atuação  |  Notícias e Artigos  |  Links Úteis  |  Contato  |  Localização  |  Principal
 
 
 
Últimas matérias
05/07/2017
Ex-empregado é condenado a indenizar empresa por danos morais e materiais
 
05/07/2017
JT afasta presunção de boa fé de comprador que adquiriu veículo por menos de 50% do valor de mercado
 
05/07/2017
Cruzeiro F. C. é absolvido de pagar danos materiais a jogador que sofreu infarto durante treino
 
04/07/2017
Sindicato é multado por descumprir decisão de retorno ao serviço em greve no transporte
 
04/07/2017
Servidor aposentado não pode acumular proventos com remuneração de estagiário
 
04/07/2017
Aposentado por invalidez após acidente de trabalho será indenizado
 
04/07/2017
Turma rejeita supressão de intervalo por convenção coletiva
 
03/07/2017
Siderúrgica que forneceu EPIs sem apresentar a ficha de controle deverá pagar adicional de insalubridade
 
03/07/2017
17ª VT/SP: concedida tutela antecipada contra atos antissindicais
 
03/07/2017
Empregado é condenado por litigância de má-fé ao pedir adicional de transferência
 
01/02/2017
Adicional de transferência pago a empregado transferido para o exterior deve integrar remuneração
 
 
Notícias e Artigos / Detalhes ¬
Fique por dentro das novidades.
 
17ª VT/SP: concedida tutela antecipada contra atos antissindicais
03/07/2017
 
A 17ª Vara do Trabalho de São Paulo concedeu tutela antecipada em ação civil pública ajuizada pelo Sindicato dos Trabalhadores nos Correios de São Paulo e Região (Sintect/SP). Na decisão da juíza do trabalho Rosana Devito, titular da vara, foi concedida a tutela para que a empresa (ECT - Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos) se abstenha de praticar atos antissindicais, bem como para impedir a realização de qualquer desconto no salário dos trabalhadores que vierem a participar da greve (veja mais informações abaixo), sob pena de multa diária de mil reais por cada trabalhador atingido.

De acordo com o processo, no dia 21 de junho de 2017, o sindicato convocou assembleia geral extraordinária para 29 de junho, com o objetivo de deliberar sobre a deflagração da greve a partir das 22h do mesmo dia, por tempo indeterminado ou não. Porém, no dia 27 de junho, a empresa veiculou em seu boletim interno informações sobre a greve geral, advertindo aos seus trabalhadores que a ‘adesão ao movimento acarreta a suspensão do contrato de trabalho, o que inclui desconto dos dias parados, neste caso também no final de semana para os empregados que não trabalham no sábado’.

Conforme o entendimento da magistrada, ainda que a Lei nº 7.783/89 tenha instituído que ‘a participação em greve suspende o contrato de trabalho’, entendo que tal regra não pode pode ser interpretada no sentido de limitar ou frustrar o exercício de um direito fundamental.

Para ela, a conduta da demandada em acenar a possibilidade de desconto dos dias parados, além de comprometer o direito à sobrevivência, tem o claro intuito de inviabilizar e enfraquecer o movimento paredista.

Dessa forma, foi verificada a existência de ilícito a ser inibido e concedidida a tutela requerida.

(Processo nº 1001119-53.2017.5.02.0017)

Fonte: Tribunal Regional do Trabalho da 2ª Região
   
   
Quem Somos  |  Áreas de Atuação  |  Notícias e Artigos  |  Links úteis  |  Contato  |  Localização  |  Restrito
Souza & Gongora Advogados
Rua Coronel José Pedro de Oliveira 520, Jardim Faculdade - Sorocaba/SP
Venha nos fazer uma visita

Fale conosco: 15 3329.4240 - 9 9697.4479
contato@souzagongora.com.br
 
 ATENDIMENTO
Segunda a Sexta-feira
09h00 às 12h00 e 13h00 às 17h30
  

Logo
  
Souza & Gongora Advogados / Copyright 2013 - Todos os direitos reservados :: Desenvolvido por Rede3D