Fale conosco: 15 3329.4240 - 9 9697.4479 || contato@souzagongora.com.br
Logo
Quem Somos  |  Áreas de Atuação  |  Notícias e Artigos  |  Links Úteis  |  Contato  |  Localização  |  Principal
 
 
 
Últimas matérias
05/07/2017
Ex-empregado é condenado a indenizar empresa por danos morais e materiais
 
05/07/2017
JT afasta presunção de boa fé de comprador que adquiriu veículo por menos de 50% do valor de mercado
 
05/07/2017
Cruzeiro F. C. é absolvido de pagar danos materiais a jogador que sofreu infarto durante treino
 
04/07/2017
Sindicato é multado por descumprir decisão de retorno ao serviço em greve no transporte
 
04/07/2017
Servidor aposentado não pode acumular proventos com remuneração de estagiário
 
04/07/2017
Aposentado por invalidez após acidente de trabalho será indenizado
 
04/07/2017
Turma rejeita supressão de intervalo por convenção coletiva
 
03/07/2017
Siderúrgica que forneceu EPIs sem apresentar a ficha de controle deverá pagar adicional de insalubridade
 
03/07/2017
17ª VT/SP: concedida tutela antecipada contra atos antissindicais
 
03/07/2017
Empregado é condenado por litigância de má-fé ao pedir adicional de transferência
 
01/02/2017
Adicional de transferência pago a empregado transferido para o exterior deve integrar remuneração
 
 
Notícias e Artigos / Detalhes ¬
Fique por dentro das novidades.
 
Adicional de transferência pago a empregado transferido para o exterior deve integrar remuneração
01/02/2017
 
Se o empregado for transferido para trabalhar no exterior, terá direito a receber o adicional de transferência, que é fixado mediante ajuste escrito entre as partes, sendo devido enquanto o trabalhador permanecer fora do país. Esse adicional integra a remuneração para os devidos fins. É o que dispõe a Lei 7.064/82, invocada pelo juiz convocado Marcelo Furtado Vidal, ao julgar desfavoravelmente o recurso de uma empresa de engenharia, condenada a integrar à remuneração do trabalhador os valores pagos a título de adicional de transferência, com reflexos em aviso prévio, férias, 13ºs salários, FGTS mais 40% e horas extras.

O julgador não teve dúvidas de que a parcela se caracteriza como salário condição, devida pela prestação de serviços no exterior. Segundo explicou, a possibilidade de sua redução, em caso de alteração nas condições de trabalho, ou até mesmo de sua supressão, em caso de retorno do empregado para o Brasil, não afasta a sua incidência para efeito do cálculo das verbas rescisórias em relação ao período no qual a parcela foi paga.

Levando em conta que o trabalhador recebeu adicional de transferência de 85% sobre o salário base enquanto permaneceu em Angola, o julgador entendeu serem devidos os reflexos da parcela no cálculo das verbas da rescisão contratual em relação aos meses em que o adicional foi quitado. Ele refutou a alegada natureza indenizatória da parcela ou a limitação ao percentual de 25% previsto no artigo 469 da CLT, diante do valor efetivamente praticado, integrante da remuneração do trabalhador.

Por fim, o julgador esclareceu que o adicional de transferência também deve incidir na base de cálculo das horas extras, conforme dispõe a Súmula 264 do TST. A remuneração do serviço suplementar é composta do valor da hora normal, integrado por parcelas de natureza salarial e acrescido do adicional previsto em lei, contrato, acordo, convenção coletiva ou sentença normativa, arrematou o relator.

O entendimento foi acompanhado pelos demais julgadores da 6ª Turma.

Fonte: Tribunal Regional do Trabalho da 3ª Região
   
   
Quem Somos  |  Áreas de Atuação  |  Notícias e Artigos  |  Links úteis  |  Contato  |  Localização  |  Restrito
Souza & Gongora Advogados
Rua Coronel José Pedro de Oliveira 520, Jardim Faculdade - Sorocaba/SP
Venha nos fazer uma visita

Fale conosco: 15 3329.4240 - 9 9697.4479
contato@souzagongora.com.br
 
 ATENDIMENTO
Segunda a Sexta-feira
09h00 às 12h00 e 13h00 às 17h30
  

Logo
  
Souza & Gongora Advogados / Copyright 2013 - Todos os direitos reservados :: Desenvolvido por Rede3D